Críticas de Maia e Alcolumbre sobre decisão de Fux mostram que Bolsonaro estava certo.

Depois sancionar a lei que estabelece o Juiz de Garantias, Bolsonaro sofreu críticas. O tempo provou quem estava certo.

Assim que sancionou a lei o presidente Bolsonaro sofreu muitas críticas da esquerda e de aliados.

Na época Bolsonaro postou;

O presidente sabia que se vetasse a lei iria causar uma indisposição com o congresso, e a lei não teria orçamento para ser implementada.

Ministro Fux

O vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, suspendeu nesta quarta-feira (22) por tempo indeterminado a implementação do chamado juiz de garantias, previsto no pacote anticrime aprovado pelo Congresso Nacional em dezembro do ano passado.

O juiz de garantias, criado pela nova lei, é um magistrado que atua apenas na fase de instrução do processo – autorizando buscas e quebras de sigilo, por exemplo. Quando o caso é enviado à Justiça, esse juiz dá lugar a um novo magistrado, que atua no julgamento propriamente dito.

Rodrigo Maia

O presidente da Câmara, disse que a decisão do vice-presidente do STF , ministro Luiz Fux, de suspender o juiz de garantias da Lei Anticrime foi “desnecessária e desrespeitosa” com o Congresso e “com o presidente [Dias] Toffoli, do Supremo.

Rodrigo Maia afirmou: “Espero o retorno do presidente Toffoli [que está em férias] para restabelecer o diálogo e o equilíbrio na relação entre os Poderes”

David Alcolumbre

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), criticou nesta quinta-feita (23) a decisão de Luiz Fux em suspender a norma do juiz de garantias por tempo indeterminado.
“Aprendi que decisão judicial não se contesta, mas essa foi um decisão liminar, então podemos recorrer”, disse Alcolumbre, em Salvador, onde participou da inauguração do novo centro de convenções da cidade.

Bolsonaro tomou a decisão certa.

Estas rusgas entre o STF , Maia e Alcolumbre seriam com o presidente Bolsonaro. O General Heleno postou no Twitter:

Vamos confiar, o capitão está no comando a guerra será longa.

Referências : Poder 360 . Valor Econômico

José Carlos Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *