Foi um meme famoso que atacou a sede do Porta dos Fundos.

Há coisas no Brasil que parecem piadas, mas são muito sérias.

A Justiça já decretou a prisão temporária do empresário Eduardo Fauzi Richard Cerquise, 41, pelo crime de tentativa de homicídio por explosão, No caso do atentado a sede do Porta dos fundos

O empresário possui antecedentes criminais por crimes como ameaça, lesão corporal, coação no curso do processo e lei Maria da Penha. Filiado ao PSL desde outubro de 2001, ele já foi preso em 2013 após dar um soco em Alex Costa, então secretário de Ordem Pública do Rio. A agressão ocorreu em meio a uma entrevista para falar sobre uma operação de fechamento de um estacionamento irregular.

A agressão viralizou e gerou um meme muito visualizado em 2013;

Mas as coisas não são tão simples ou mesmo engraçadas, uma trama complexa pode estar por trás deste atentado estranho

Livros de Alexander Dugin, Alcorão, Olavo de Carvalho, entre outros objetos encontrados sob a mesa do principal suspeito do atentado ao Porta dos Fundos, podem ligá-lo a uma corrente neofascista aliada à extrema -esquerda.

Uma conta no Twitter ( já apagada) aponta como principal suspeita de estar por trás dos atentados, a organização Nova Resistência, que defende a Quarta Teoria Política, do ideólogo russo. O objetivo do atentado e das supostas descobertas da política seria a inserção do grupo no debate político, como força participante da “frente anti-Bolsonaro”, engrossando as fileiras dos inimigos do governo.

Eduardo Fauzi era membro da Frente Integralista Brasileira do Rio de Janeiro, além de ter se filiado ao PSL, em 2001. Dizendo-se “exilado na Rússia”, Fauzi teve relações pouco claras com o movimento extremista Black Bloc, que teve como integrante  Rafael Lusfavghi, um ex-policial brasileiro que chegou a integrar as FARC e depois fugiu para a Ucrânia, onde aderiu à guerrilha pró-Rússia.

A ativista Sininho que pertence ao movimento Black Bock e esteve envolvida no ataque ao cinegrafista da Rede Bandeirantes, defendeu Eduardo em um video de 2013 ;

Blogs de esquerda apoiadores dos Black Bloc como o “Nova Democracia”, em 2013, classificavam Fauzi como um militante de esquerda. O suspeito que está foragido, viajou diversas vezes à Rússia, como atestam também pessoas próximas dele. Quando Fauzi foi detido por agressão contra o secretário Alex Costa, no Rio, foi efusivamente defendido pela militante de extrema-esquerda, “Sininho”, ligada ao PSOL e aos Black Bloc

Em novembro de 2018, quando Bolsonaro já era o presidente eleito, o ideólogo Alexander Dugin conclamou grupos que o apoiam no Brasil para criar uma “frente anti-Bolsonaro”. O manifesto foi publicado no site do grupo Nova Resistência. Dessa forma, compreende-se um objetivo dialético em vincular Bolsonaro, sua base conservadora (a partir de Olavo de Carvalho) e, ao mesmo tempo, ativar os discursos neofascistas para aproveitarem-se da onda conservadora para agirem contra ela mesma.

Ainda vai aparecer muita coisa.

Referências : Estudos nacionaisJornal da CidadeNova resistência

Curvelo (MG) 02/01/2020 – 21:32h

José Carlos Martins

Economista graduado pela PUC-MG, pós graduando em Engenharia de Produção ,técnico em administração de empresas, ex- reservista TG 04/29 Exército Brasileiro .Membro do grupo Direita Curvelo desde outubro 2017. Cristão , conservador
José Carlos Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *