Após dois anos sendo atacado Trump vence a imprensa

Justiça não encontrou evidências de conluio entre Trump e Rússia e imprensa perde credibilidade.

Ao longo de quase dois anos de investigação, cinco denunciados acabaram condenados por vários crimes, mas nenhum ligado ao suposto conluio com os russos envolvendo as eleições de 2016.

O relatório final da investigação do procurador especial Robert Mueller confirma que não há indícios de que Trump ou membros de sua família estejam envolvidos em conluio com a Rússia ou obstrução à Justiça, dois dos principais focos da investigação.

A narrativa sobre o suposto auxílio da Rússia à campanha republicana de Donald Trump foi utilizada por todos os jornais da velha imprensa como uma forma de justificar a histórica derrota da democrata Hillary Clinton, em 2016.

As redes de notícias a cabo, particularmente a CNN e a MSNBC, transmitiram centenas de horas de discussão sobre o tópico também.

A história, sem dúvida, foi um fator importante na formação das percepções dos eleitores antes das eleições de 2018, nas quais os democratas conquistaram o controle da Câmara.

Mas a conclusão da investigação de Mueller, que inocentou completamente o presidente Trump, colocou o foco em uma questão que antes era debatida apenas vagamente: a mídia tradicional foi deliberadamente enganosa?

Observando as extensas descobertas de Mueller, ele acrescentou:

“Então agora é aparente que os canais de notícias apenas personificaram os seus desejos. Eles tinham em mente um grande desenlace, e isso não aconteceu. Eles zombaram de Trump quando ele dizia que ‘não existe conluio’, e essa acabou sendo a verdade. Os eleitores devem se sentir enganados.”

O mesmo aconteceu nas eleições brasileiras quando a imprensa chamava Bolsonaro de machista, racista homofóbico o passar do tempo provou que ele não era e com isto ele  ganhou a eleição, agora se repete com o caso Queiroz e as milícias no caso Marielle.

Em mensagem publicada no Twitter, na manhã desta terça-feira (26), Trump acusou os meios de comunicação de serem o “Inimigo do Povo” e um “verdadeiro partido de oposição”.

“A mídia mainstream está sob fogo e queimada em todo o Mundo como sendo corrupta e FAKE”, enfatizou o chefe da Casa Branca.

Trump acrescentou que os principais meios de comunicação dos Estados Unidos “insistiram durante dois anos no delírio de um conluio com a Rússia, enquanto sempre souberam que que não havia conluio”.

“Realmente, são o Inimigo do Povo e o Verdadeiro Partido de Oposição”, concluiu.

As conclusões das investigações exoneram Trump completamente e reivindicam suas acusações de ter sido o objeto de uma “caça às bruxas” liderada por políticos democratas associados aos maiores jornais do país.

A credibilidade da velha imprensa norte-americana nunca mais será a mesma. E agora chegou a hora do acerto de contas. Como explicar para o público que a intensa cobertura dos últimos 22 meses não passou de uma fantasia? O desejo da imprensa dos EUA em derrubar o presidente republicano era tão forte que acabou lançando os jornalistas em uma realidade paralela.

Curvelo 27/03/2019 –  8:15h

 

Referência [1] [2] [3]

José Carlos Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *