Governo errou com Maia e Acolumbre e não pode errar com o novo PGR

subprocurador-geral da República Augusto Aras

Augusto Aras é petista e aliado de Jaques Wagner

O subprocurador-geral da República Augusto Aras é o nome mais cotado para ser indicado como o próximo procurador-geral da República, admitem pessoas próximas do presidente Jair Bolsonaro. Mas um movimento iniciado nas redes sociais dos eleitores do capitão é contra esta indicação.

Aras é criticado por apoiadores de Bolsonaro por ter posicionamentos diferentes dos defendidos pelo presidente

Em um trecho de uma entrevista ao jornalista Luis Nassif que circula no Twitter, o subprocurador fala sobre corrigir “grandes distorções” do sistema político eleitoral e partidário e comenta sobre uma eleição em 2018 sem “perspectivas de golpe de qualquer natureza, populista, não populista, de elites, de não elites”. No trecho, ele elogia um artigo do escritor e teólogo socialista Leonardo Boff que alertava para os “riscos que nossa democracia está passando.”

Em entrevista à TV Câmara de Salvador, em 2016, registra a Folha.

Na ocasião, o subprocurador disse que a “direita radical” se aproveitava de uma crescente “doutrina do medo” para fazer valer a opressão contra os mais pobres e a supressão de direitos e garantias sociais.

Aras, que já se reuniu por cinco vezes com Bolsonaro nas últimas semanas, chegou a usar o slogan da campanha de Lula em 2002, sem citar o presidente.

“Agora, mais do que nunca, a esperança precisa vencer o medo, porque o medo está nos conduzindo a renunciar a todos os direitos sociais que nós conquistamos a duras penas.”

Aras também foi cotado como uma indicação da ex-presidente Dilma Rousseff ao Supremo Tribunal Federal (STF). Recortes de reportagens de março de 2016 apontam Aras como um dos nomes cogitados pela petista. A tática nas redes sociais é associar o subprocurador como alguém que não compactua com as mesmas ideias de Bolsonaro para que o presidente vete a escolha.

O governo não pode errar de novo, apoiar Maia e Alcolumbre foi um grave erro que esta repercutindo no avanço das mudanças no Congresso, indicar Augusto Aras será outro grande erro que pode comprometer o futuro do Brasil

Referências ; O AntagonistaCorreio Brasiliense

Curvelo 08/08/2019 08:44h

José Carlos Martins

Economista graduado pela PUC-MG, pós graduando em Engenharia de Produção ,técnico em administração de empresas, ex- reservista TG 04/29 Exército Brasileiro .Membro do grupo Direita Curvelo desde outubro 2017. Cristão , conservador
José Carlos Martins
5 comments to “Governo errou com Maia e Acolumbre e não pode errar com o novo PGR”
  1. Será que Bolsonaro vai querer mais um problema pra cabeça dele? Chega o presidente do senado e da Câmara que enganou a todos.
    Busca a vida pregressa do do cara.
    Esse rosto barbudo, RS sei não!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *